Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de outubro de 2012

ELEIÇÕES PELO BRASIL

QUEM VENCEU - QUEM PERDEU

Neste segundo turno das eleições, o PT, o PSDB e o PSB conquistaram o maior número das 17 prefeituras de capitais em disputa - três prefeituras cada um - sendo que a maior vitória política coube ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele conseguiu inovar em São Paulo ao consegui eleger um novato – um poste, como diziam - para a prefeitura paulista.

Já o PMDB, partido que continua tendo o maior número de prefeituras em todo o país, perdeu neste segundo turno as três capitais onde concorreu. Na eleição de 2012 como um todo, o partido de Michel Temer e de Sérgio Cabral, viu cair o número de prefeituras que detinha: a queda foi de 13,5%. Hoje ele governa quatro capitais e em 2013 estará à frente de apenas duas.

O professor e ex-ministro da Educação Fernando Haddad ajudou ao partido a retomar dos tucanos a prefeitura paulistana ao conquistar 3,387 milhões de votos nas urnas, nada menos do que 1,179 milhões de votos a mais que o tucano, ex-prefeito e ex-governador paulista, José Serra (2,708 milhões de votos). Os petistas comemoraram à note na Avenida Paulista depois de ouvirem o discurso do prefeito eleito.

Os petistas também conquistaram a capital paraibana, João Pessoa, com Luciano Cartaxo (68,13%) que derrotou o tucano Cícero Lucena. Outra vitória petista sobre os tucanos ocorreu em Rio Branco (AC), onde o candidato novato Marcus Alexandre bateu com 50,80% dos votos o tucano Tião Bocalom (49,20%) em uma vitória que será creditada aos irmãos Jorge (ex-governador, atual senador) e Tião (ex-senador, atual governador) Viana.

Tucanos bateram em Lula

Mas os tucanos podem se gabar de, com o ex-senador Arthur Virgílio, derrotarem em Manaus (AM) não apenas a senadora do PC do B, Vanessa Grazzioton, mas também ao próprio ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que fez de tudo para elegê-la, principalmente para se vingar dos ataques que sofreu quando Virgílio ocupava a tribuna do Senado. Virgílio obteve 65,95%, uma vitória indiscutível. Indiretamente, perdeu também a presidente Dilma Rousseff que foi a Manaus ajudar Vanessa. 

Em Belém (PA) os tucanos também venceram com Zenaldo Coutinho, que atingiu 56,61 derrotando o candidato do PSOL, Edmilson Rodrigues. O PSDB venceu ainda em Teresina, no Piauí, com Firmino Filho que bateu no petebista Elmano Férrer.

Outro partido com três vitórias foi o PSB que sai desta eleição com o maior percentual de crescimento no número de prefeituras, muito embora elas ainda fiquem aquém dos demais partidos. Ele governava em 308 cidades e a partir do próximo ano governará 443 prefeituras.

Socialistas lideram nas capitais 

Neste segundo turno, entre as capitais dos estados a vitória mais significativa dos socialistas foi em Fortaleza (CE) com Roberto Cláudio (53,02%) ao derrotar o petista Elmano de Freitas, em uma vitória dos irmão Cid (governador) e Ciro (ex-governador) Gomes.

O partido ainda fez o prefeito de Cuiabá ao eleger Mauro Mendes (64,45%), que concorreu contra outro petista Lúdio Cabral, numa disputa bastante tumultuada. Em Porto Velho (RD), o partido conquistou a prefeitura com Mauro Nazif, que venceu o membro do Partido Verde Lindomar Garçon, com 63,03%.

Com as duas capitais conquistadas no primeiro turno - Belo Horizonte (MG) e Recife (PE) - o partido terá o comando sobre o maior numero de capitais em todo o país, roubando a posição do PMDB, que atualmente governa seis capitais.

PSOL ganha uma capital

O PSOL sai deste segundo turno com a sua primeira prefeitura de capital. Ele conquistou a prefeitura de Macapá (AP) com o candidato Clécio Luiz, ao derrotar o atual prefeito Roberto Silva, num placar de 56,59% contra os 49,41% do candidato pedetista. Foi uma renovação dos quadros políticos daquele estado e que dá maior visibilidade TAM bem ao senador do mesmo partido Randolfe Rodruigues.

O PDT conquistou duas capitais neste segundo turno, sendo a mais importante e significativa a prefeitura de Curitiba (PR) com Gustavo Fruet, um ex-tucano que já atacou duramente os petistas, inclusive o ex-presidente Lula, mas que acabou apoiado pelo PT do Paraná para derrotar o apresentador de TV Ratinho Junior. Outra vitória pedetista foi de Carlos Eduardo, em Natal (RN) que derrotou o peemedebista Hermano Moraes, impondo uma importante derrota ao líder do PMDB na Câmara, Henrique Nunes que sairá candidato a presidente daquela casa.

Cinco outros partidos conquistaram uma prefeitura cada um: Em São Luiz (MA), Edivaldo Holanda Junior, com o inexpressivo PTC, venceu um tradicional político maranhense, o tucano João Castelo; Em Vitória, outro tradicional político tucano, Luiz Paulo Veloso, foi derrotado por Luciano Rezende, do PPS; Em Florianópolis confirmou-se o favoritismo do candidato do PSD César Souza Junior em mais um derrota de um peemedebista, Gean Loureiro.

A volta do Carlismo?

Em Salvador, o Antônio Carlos Magalhães Neto, neto do tradicional cacique baiano, chegou à prefeitura em uma importante derrota do PT local, que concorreu com Nelson Pelegrino, naquele que pode ser o renascimento do Carlismo na Bahia, força política que praticamente desapareceu desde a morte do avô de ACM Neto, o ex-governador, ex-ministro e ex-senador Antonio Carlos Magalhães.

A questão é que em Salvador registra-se apenas 18% dos eleitores da Bahia. Na segunda grande cidade, Vitória da Conquista, o outro único município baiano a ter segundo turno, o PT, com Guilherme Menezes venceu Herzem Gusmão, do PMDB, em uma derrota do vice-presidente da Caixa Econômica Federal, Gedel Vieira Lima.

Por fim, em Campo Grande (MS) o Partido Popular conquistou a sua segunda capital – a primeira, Palmas, foi ganha no primeiro turno – ao ganhar com Alcides Bernal o peemedebista Edson Goto.

PMDB maior perda de prefeituras

Aliás, o PMDB com estas três derrotas do segundo turno viu limitar-se a apenas duas as capitais que governará a partir de janeiro – Rio de Janeiro e Boa Vista. Atualmente ele governa quatro capitais - Salvador, Goiânia, Campos Grande e Rio de Janeiro, Nas eleições como um todo ele permanece conquistando o maior número de prefeituras, mas viu reduzirem de 1.193 as cidades que governava para 1.031 que governará a partir de 2013.

Outros que sofreram perdas foram os tucanos que detêm hoje as prefeituras de 787 municípios e, a partir de janeiro. governarão em apenas 702.

Já os petistas e os socialistas saíram ganhando. O PT que tinha antes 550 prefeituras, agora passará a ter 634, aumentando em 15% o número de cidades que governará. Já o PSB foi aquele que mais cresceu percentualmente, pulando de 308 para 443, um crescimento de 43%.
( Jornal do Brasil - Henrique de Almeida e Marcelo Auler )

GUARDA MUNICIPAL SERÁ AVALIADA

 Viaturas da Guarda Municipal de Pelotas recebem adesivos para avaliação dos serviços pela população.

Os cinco veículos entregues para a Guarda Municipal em 19 de outubro receberam adesivos do Fala Pelotas e cartões combustível.

O coordenador do setor de Gestão da Qualidade, Gilnei Brauner, diz que com o cartão combustível a frota nunca para, e os responsáveis podem abastecer em todo o Estado do Rio Grande do Sul, e a qualquer momento, para que os não haja prejuízo para os serviços à população. Em Pelotas, há um posto pré-definido para abastecimento, que ganhou a licitação por menor preço.

De acordo com o responsável pelo programa de combustível da Gerência de Matriz de Despesas, Renato Rezende, em um ano, apesar do aumento da frota e da liberdade de circulação para a cobertura de toda a cidade, houve uma economia de R$ 200 mil, com a adoção do cartão combustível.

Os adesivos lembram o telefone de atendimento da ouvidoria do Município – 156 – um canal aberto para sugestões, críticas e elogios sobre os veículos e sobre qualquer área da administração.
(Fonte: Prefeitura Municipal de Pelotas)

A ELEIÇÃO EM DOIS MOMENTOS

O segundo turno das eleições em Pelotas, encerrado há poucas horas, marca o início e o fim de dois ciclos. Se por um lado representa o começo da fase mais importante na vida política do vereador Eduardo Leite (PSDB), que se tornou neste domingo (29) o mais jovem prefeito da história do município, também encerra os 16 anos dedicados pelo deputado federal Fernando Marroni (PT) à candidatura ao Executivo Municipal.

Para Eduardo e sua vice-prefeita Paula Mascarenhas (PPS) a expectativa depositada nas urnas é gigantesca. A população mostrou o desejo de renovar seus líderes e acreditou no discurso que os dois desenvolveram ao longo da campanha. Se o voto foi com essa crença, as cobranças serão fortes. A cidade espera por uma gestão diferente, moderna, eficiente e capaz de suprir as demandas em setores importantes à vida das famílias, como saúde, educação, desenvolvimento, cultura e transporte.

Escolher nomes qualificados para as secretarias, que tenham a mesma visão da futura gestão e desempenhem com capacidade o trabalho a eles designado, sem que o loteamento político comprometa o plano de governo, será também um desafio a Eduardo Leite. De nada adiantar agradar aos partidos e colocar à frente das pastas quem não entenda o que está fazendo.

E embora em política seja quase sacrilégio anunciar o fim de uma carreira - sobram exemplos no país daqueles que deram a volta -, é impossível enxergar Marroni candidato a prefeito de Pelotas em 2016, pela sexta vez consecutiva. O desgaste de seu nome sinalizou, serviu de arma aos adversários e ressoou nas urnas. Se ele sempre foi uma figura certa no segundo turno, o que o gabaritou a se manter na disputa desde 1996, foi a partir de 2004 que os adversários descobriram a fórmula para enfrentá-lo: ter um nome forte aglutinado em várias legendas. Quanto à sua condição de deputado federal e a possível candidatura em 2014, ele e o partido terão de avaliar.


A falta do discurso novo também pesou. Insistir que Marroni é do mesmo partido da presidente e do governador, por exemplo, foi desnecessário. Nesse ponto, as eleições passadas e até mesmo o primeiro turno não serviram de lição a quem o orientou. O eleitor já havia dito, através do voto, que não se interessava por isso, se ele era próximo de Lula, Dilma ou Tarso. Era como se respondesse: “E daí?” Mas a frase voltou a ser ouvida.

Para o Partido dos Trabalhadores a primeira semana após o segundo turno é de reflexão. A sigla dedicou quase duas décadas a Marroni, chega ao final do ano sem ter feito a renovação (com foco na prefeitura) que os outros partidos fizeram, e sem um nome para ocupar a vaga de seu candidato a prefeito nas últimas cinco disputas. Terá agora quatro anos para encontrar o substituto.

Poucas horas após o resultado das urnas e com o calor da eleição já em fogo brando, a população começa a projetar a Pelotas administrada por Eduardo Leite. Seu ciclo teve início no dia 28 de outubro de 2012, por volta das 18h35min, quando as urnas o elegeram sem possibilidade mais de derrota. Que o novo, como o tucano fez questão de destacar nos últimos meses, faça o melhor pelo terceiro maior município do Rio Grande do Sul.
(editorial Diário Popular) 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

OS NOMES DO EXECUTIVO A PARTIR DE 2013

O nome dele vai continuar Eduardo, mas em 1º de janeiro os pelotenses poderão chamá-lo de prefeito. Com a maior diferença entre os dois concorrentes do segundo turno - 27.744 votos - o prefeito eleito mais novo e a primeira mulher a chegar ao Paço Municipal, a coligação Pelotas de Cara Nova (PSDB/PPS/PSC/PR/PP/PTB/PDT/PRB/PSD) marca a história da cidade.

E a festa da vitória não foi diferente. Eduardo Leite (PSDB) e Paula Mascarenhas (PPS) foram cumprimentados por um mar de bandeiras brancas na avenida Bento Gonçalves perto das 20h30min. Milhares de pessoas ocuparam o canteiro central e as quadras no entorno do cruzamento da avenida com a rua Andrade Neves. “Muito obrigada a cada um de vocês que saiu neste domingo para colocar sua confiança e expectativa em mim e na Paula. Pelotas é a construção de todos nós e tem que continuar assim. Vamos responder a vocês com trabalho”, agradeceu o prefeito eleito.

Votação

Foram 110.823 votos, 57,15% dos votos válidos, que possibilitarão a Eduardo e Paula assumirem o Executivo em 1º de janeiro. A comemoração teve direito a muito samba com bateria. As pessoas ainda levaram para a avenida diversos “eduardos”, os displays com a imagem do candidato que foram utilizados na reta final de campanha para chamar a atenção do eleitorado.

O militante Patrick Martins de Souza usava uma máscara do prefeito eleito durante a comemoração. Desde às 18h30min ele aguardava com amigos o pronunciamento do tucano. “Estou muito feliz. Participei da campanha desde o primeiro turno, distribuí panfletos sem receber um centavo. Estou contando com um governo melhor para a cidade”, projetou.


Comemoração

De cima do trio elétrico o deputado federal e presidente gaúcho do PSDB Nélson Marchezan Júnior agradeceu ao eleitorado pelotense o resultado das urnas. Sobrou para o vice-prefeito Fabrício Tavares (PTB) as vaias da população durante seu discurso. O prefeito Fetter Júnior (PP) não compareceu à festa. Logo no início da apuração do resultado, o progressista ligou para Eduardo o parabenizando. 

Outro telefonema recebido pelo tucano foi o do adversário Fernando Marroni (PT). Com cerca de 30% das urnas apuradas, Eduardo atendeu o celular, conversou com a companheira de chapa ao lado e retornou para a sala da família para anunciar: “Acabei de receber um telefonema do Marroni reconhecendo a nossa vitória”. Foi o que bastou para dar início aos festejos e à tentativa de jogar o prefeito eleito na piscina da casa da família.
(Por: Anna Fernandes - DP - imagens CArlos Queiroz)

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

10 coisas sobre o rock

  1. Dave Grohl possui o símbolo do John Bonham (baterista do Led Zeppelin) tatuado em sem antebraço.
  2. A música Black Dog do Led Zeppelin possui esse nome porque no dia da gravação um enorme cachorro preto invadiu o estúdio.
  3. O baterista do Deff Leppard (Rick Allen) perdeu um braço em um acidente de carro na década de 80, mas mesmo assim ele decidiu continuar na banda, ele adaptou a bateria para fazer utilizar mais os pés e assim continuou sua carreira.
  4. O álbum The Dark Side of The Moon é perfeitamente sincronizado com o filme "O Mágico de Oz", o álbum se inicia no segundo rugido do leão da MGM, e as músicas se encaixam perfeitamente no filme.
  5. Jimi Hendrix criou a música Little Wing em apenas 145 segundos.
  6. O nome original do Pink Floyd era "Sigma 6", mas por influência de Syd Barret a banda mudou seu nome para The Sound Pink Floyd.
  7. Bruce Dickinson (Iron Maiden), Steve Morse e Carter Beauford (baterista Dave Mathews Band) compartilham uma paixão incomum: em seu tempo livre que eles gostam de pilotar aviões (e é claro que eles possuem alguns).
  8. Steve Vai decidiu tocar guitarra logo após sua irmã chegar com o disco Led Zeppelin II e ele ouvir a música Heartbraker.
  9. Quando Brian May tinha 9 anos, ele percebeu que não podia tocar tudo que ele queria com o seu violão e também que ele não tinha dinheiro para comprar uma guitarra, então ele e seu pai construiram uma guitarra e ela foi batizada de Red Special, que hoje em dia é sua marca registrada.
  10. Os Sex Pistols foram proibidos em quase todas as partes do Reino Unido, então eles começaram a turnê sob o nome SPOT (Sex Pistols On Tour).
 (

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Como é difícil ser sincero


Quantas vezes nos deparamos com as verdades e mentiras que assistimos ou escutamos no nosso dia a dia? Alguns filósofos dizem que mentira e engano estão nos nossos genes, motores da nossa evolução. A verdade em muitos momentos dói e arde. A vida vai nos ensinando a separá-las e afastá-las neste mundo globalizado, tão diversificado, com variedades de tipos humanos, com grandes e pequeníssimas pessoas.

Muitos se revelam numa linguagem corporal, tom de voz, ganham requintes bem pensados. Tivemos inúmeros exemplos na recente campanha dos candidatos no primeiro turno. Claro que nós adulamos e sorrimos diariamente com olhar inocente para manter uma boa conduta com o próximo.

Como escreveu o jornalista Carpinejar: “A gente desconfia mais das verdades do que das mentiras. - e isso é um modo de inspirar novos enganos”.

Sempre quando pretendemos ser donos da verdade, de tudo, e de si mesmo, a impossibilidade nos alcança, ficamos restritos, acuados, impossibilitados. Sempre é difícil admitir culpas.

Quando somos sinceros com palavras, gestos, apontando verdades e caminhos, somos taxados de conservadores, altivos, querendo produzir impressão.

No aspecto dual, entre a verdade e a mentira, temos a sinceridade, que garante a liberdade do indivíduo. “Os românticos no século 19, no Brasil, eram eufóricos por liberdade, como Machado de Assis que escreveu: ”A mentira muitas vezes é tão involuntária como a respiração”. Também o português Fernando Pessoa numa das suas  citações: ”Não sei quem sou que alma tenho. Quando falo com sinceridade não sei com que sinceridade falo“.

Por fim, acredito que a mentira jamais procede da verdade, mas ser sincero, dizer o que pensa em todas as questões relativas à vida, é difícil.

( Por: Eduardo Stein Teixeira, advogado - DP)

sábado, 20 de outubro de 2012

BEM X MAL


"Se Deus é Absoluto Infinito e a Raiz Universal de tudo o que existe na Natureza e no Universo - de onde provém o Mal ou o Demônio, senão da própria matriz áurea do Absoluto?"
(Encontrei este trecho num livro)

Como podemos distinguir o Bem do Mal, quando vemos que a luz não existe sem a escuridão, e que mesmo a maldade não existe sem que exista o bem, porque se tudo fosse bem ou mal, não haveria equilíbrio. Ou tudo o que existe seria Mal ou tudo seria Bom.

Se olharmos nas escrituras ocidentais, veremos que mesmo no Paraíso, que era onde o Ser humano estava e foi expulso, também existia o Mal. Isto quer dizer que é anterior ao ato humano. Se admitirmos a presença de anjos no Paraíso, estamos admitindo que não somos imagem e perfeição, já que o anjo é todo Bem e o demônio é todo Mal, e não somos nenhum dos dois.

Por outro lado, se somos imagem e perfeição, isto é, a imagem de Deus, dá a entender que Deus tem em si os dois lados da moeda, assim como nós.
Os dois lados são muito relativos e depende do ponto de vista do observador. Se pensarmos na história de Sodoma e Gomorra, veremos que os anjos destroem as cidades. Seria um ato de crueldade contra a humanidade. Onde está o Bem neste momento? Onde estariam as palavras de Deus perdoando os inimigos (dando a outra face) e as leis criadas por ele mesmo e entregue à Moisés, o qual, deus Jesus vem reformar? Deus em paradoxo consigo mesmo.

Deixando a Bíblia de fora, vemos que a Ciência Social não conseguiu mudar a humanidade. Os mesmos erros e a mesma ganância vem arrastando o Ser Humano milhares de anos sem ter muita mudança. Mudam a embalagem e o recheio é o mesmo. A mesma hipocrisia.
 
E por causa desta hipocrisia, vemos milhares de pessoas em busca de lucros e riqueza, esquecendo que o que se acumula nos cofres veio de algum lugar. E o que foi explorado e transformado em dinheiro jamais voltará ser o que era.

Existem muitas industrias que destroem grandes áreas de florestas ou áreas subterrâneas em busca de minério, áreas de cultivo e pecuária. Tudo tem seu preço. As florestas não voltam ser o que eram. Muitas árvores já foram extintas, assim como seus habitantes. O "chip" dentro do "PC" não voltará ser minério. Agora será apenas lixo, que sendo reciclado voltará ser lixo. 

Esta é a evolução da civilização. O intelecto evoluiu para a busca de suas riquezas, que são consideradas Bens. Mas estes Bens temporários fazem parte de um grandioso Mal, que corrói o espírito humano e seu amor, sua solidariedade. Ao invés de seguirmos para o futuro com uma consciência sã, regredimos ao passado, onde a lei era "olho por olho, dente por dente", ou seja, mal se paga com mal, bem se paga com bem. Longe de dar a face à tapa.

Os conceitos e preconceitos humanos criam vários símbolos que se cristalizaram e se tornaram deuses idolatrados por todos, sendo que com o tempo, estes símbolos conhecidos como deuses serão os próximos demônios, causadores de todos os males futuros.

Será que o Mal se torna Bem e o Bem se torna Mal, na evolução da vida? Se for esta a resposta, o conceito Yin e Yang está correto e comprova que as religiões puras se tornaram impuras e de dentro das religiões impuras pode sair algo puro e esta pureza é a evolução da vida, independente de Bem ou Mal.

CURIOSIDADES SOBRE O CORPO HUMANO





Esta máquina chamada “corpo humano” é tão incrível que algumas coisas passam despercebidas. Por isso, confira algumas curiosidades sobre nosso corpo que pouca gente conhece.

(Autor: ONEberto)



terça-feira, 16 de outubro de 2012

Imagens incríveis do interior de instrumentos musicais

A Orquestra Filarmônica de Berlim lançou uma nova campanha publicitária com imagens incríveis, que retratam o interior de seus instrumentos musicais. As fotografias a seguir mostram um violino, um violoncelo, uma flauta e um órgão de tubos, vistos por dentro. Confira:

Editora Globo
Violino // Crédito: Filarmônica de Berlim

Editora Globo
Violoncelo // Crédito: Filarmônica de Berlim

Editora Globo
Flauta // Crédito: Filarmônica de Berlim

Editora Globo
Órgão de tubos// Crédito: Filarmônica de Berlim
 
(fonte: Revista Galileu)

Reabertura do Mercado Central de Pelotas está prevista para o final do ano

(imagem Alexandre Neutzling)
A revitalização de um dos prédios públicos mais tradicionais da cidade está próxima da conclusão. A inauguração do Mercado Central foi pauta de reunião na manhã de quinta-feira, 11, entre o prefeito Adolfo Antonio Fetter e a equipe que coordena as obras e a nova ocupação do prédio restaurado.
O encontro teve o objetivo de atualizar o prefeito sobre as últimas definições para reabertura do Mercado que deverá ocorrer até o final do ano com o funcionamento de 40% das bancas. Segundo Fetter, no final deste ano 36 bancas já deverão estar instaladas. “A previsão é de estejam em funcionamento as 22 bancas destinadas aos antigos locatários do Mercado, além das 14 que serão utilizadas de forma institucional, administrativa e para segurança do prédio”, explica.

O encontro definiu a publicação do Edital de Licitação para espaços vagos que deverá ocorrer no final da semana que vem. Segundo a secretária do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sdet), Aline Fernandes, o processo licitatório será dividido em quatro certames. “As 48 bancas a serem licitadas serão divididas em quatro editais distintos que serão agrupadas de acordo com a natureza dos negócios”, afirma Aline.

Conforme a assessora jurídica da Unidade Gerenciadora de Projetos (UGP), os quatro editais serão publicados na mesma data. “A divisão em quatro certames foi definida para que o processo seja mais ágil”, declara.
Após a publicação dos editais, o prazo para abertura dos envelopes será de 30 dias. Os vencedores da concorrência pública terão 20 dias, após a assinatura do Termo de Compromisso, para apresentar o projeto da banca de acordo com o Decreto Municipal 5.571 de 11 de setembro de 2012.

A reunião contou também com as presenças do responsável técnico pelas obras de restauração no Mercado, engenheiro Ricardo Silveira; da representante da Procuradoria do Município, Cristiane Grequi Cardoso; do coordenador da Missão Especial do Mercado Central, Shopping Popular e Ambulantes do Calçadão, Mogar Xavier; do secretário executivo da UGP, Jair Seidel; da gerente da Sdet, Isabel Cristina Recuero; assessora da Sdet, Camila Ferreira, e do assessor especial, Carlos Mário Santos.
(fonte: Prefeitura Municipal de Pelotas)

domingo, 14 de outubro de 2012

O RESPEITO


O respeito é um conceito relativo que, na maioria das pessoas, está diretamente relacionado aos valores pessoais de cada um. Tais valores são aprendidos na família, na escola, na sociedade ou nos programas de televisão como acontece com muitas crianças hoje em dia.

O conceito de respeito adotado por cada um influencia diretamente os relacionamentos que esta pessoa tem consigo própria e com o mundo à sua volta. Aqueles que estão apegados rigidamente aos seus valores pessoais provavelmente entrarão em conflito com outras pessoas que tenham valores diferentes e que também estejam rígidos em sua postura, criando assim um grande conflito interno em ambas as partes.

Na relação pai e filho, os conflitos em relação ao tema respeito vêm à tona frequentemente. Alguns pais foram educados a acreditar que a obediência é sinônimo de respeito. Esse tipo de atitude é constantemente observado também na relação mestre e discípulo, onde este se deixa guiar mentalmente, emocionalmente e até fisicamente pelo “mestre” em questão. Os conflitos se iniciam quando o(a) filho(a) começam a entrar em contato e incorporar outros valores pessoais vindos da escola, da sociedade e do convívio com outras pessoas.

Há uma outra forma de respeito que transcende os valores pessoais de cada um. Ele ocorre quando cada pessoa aceita o outro do jeito que é. Esse tipo de respeito não é uma obediência, e sim uma aceitação da manifestação do outro e de sua existência. É um respeito que nivela todos nós como iguais e faz com que cada um se conecte com sua própria força.

É um respeito que coloca cada um no seu devido lugar e delimita as responsabilidades de cada um para com sua própria vida. A pessoa que atingiu esta forma de respeito não quer mais mudar o outro, e sim confia naquilo que atua no outro.
(Autor: Saulo Fong)

A teoria do valor e ideologia política

A teoria do valor pode aparecer como algo esotérico, que é melhor deixarmos para livros didáticos e na sala de aula. No entanto, essa opinião é bem errada. A teoria do valor é uma das determinantes mais fortes quando se pensa sobre a economia, a sociedade e a política.

A relação entre a teoria do valor e a ideologia política é bastante clara no marxismo, cuja base é a teoria do valor-trabalho. Segundo essa teoria, o valor de uma mercadoria depende da quantidade de trabalho necessária para produzir esse bem. Uma vez que esta premissa é adotada, o resto do edifício intelectual que promove o socialismo segue quase que automaticamente.

Não é sem triste ironia que a teoria do valor-trabalho foi criada pela escola clássica da economia. Os principais autores da escola clássica obviamente não se derem conta de que a teoria do valor-trabalho está não somente em contradição com a liberdade individual, mas também contem erros profundos.

Não foi até 1871, quando as falhas fundamentais da teoria do valor-trabalho foram reveladas e claramente refutadas de Carl Menger em seu livro Princípios da Economia. Menger, que era um jornalista financeiro antes de se tornar professor universitário, viu que muitas proposições fundamentais da economia clássica, e consequentemente do marxismo, estão cheios de contradições internas e em grave conflito com a realidade.

O fundador da Escola Austríaca da Economia mostrou em sua obra prima que o valor econômico não está embutido no próprio bem. A origem do valor não é trabalho, mas o valor é o resultado do serviço que um bem é capaz de fornecer para o consumidor. Assim o valor não está dentro do bem, mas depende da ativa avaliação humana da utilidade do bem.

Uma consequência desta perspectiva é que o valor do bem muda de acordo com a utilidade a qual o bem oferece para o usuário. Para uma pessoa que passou o dia no deserto sem abastecimento de água, uma garrafa desta tem muito mais valor que a mesma quantidade em um dia normal.
O valor de um bem muda com as circunstâncias. Isto também significa que o valor no mesmo ato de consumo sofre de uma diminuição marginal, o que implica que o primeiro gole tem um valor maior que o último, assim com a primeira mordida de uma refeição possui muito mais valor do que a última mordida dessa mesma refeição.

Dado que o valor de um bem depende da avaliação humana, deduz-se que esse valor é marginal, individual, subjetivo e circunstancial, logo, a teoria clássica da economia e a teoria econômica marxista estão sem fundamento. A correta teoria de valor requer uma metodologia econômica individualista e marginalista, e como ideologia política, a teoria de valor subjetivista-marginal implica uma ideologia política individualista de liberdade e de livre escolha.

“Valor” é um conceito relacional e o ato da avaliação é um ato mental. Por exemplo, se alguém recebe um presente, o objeto dado será sujeito a um valor diferenciado a depender de quem é o responsável pelo presente. Os mesmos bens sofrem alterações do grau de valor ao longo do dia, pela mesma pessoa, assim como o valor desses mesmos produtos sofrem alterações de acordo com idade, estação do ano ou local onde se vive. Logo, quando as circunstâncias mudam, o mesmo acontece com as avaliações.

Nesta perspectiva segue mais uma implicação importante: O valor econômico dos fatores de produção (incluindo o trabalho mesmo) é relacionado com o valor de bens de consumo. Esta “lei de imputação” diz que os bens de produção (trabalho, capital, natureza) não gozam de valor autônomo, mas, sim, seu valor é derivado da sua contribuição para o fornecimento de bens de consumo. O cálculo do custo — que se inicia desde os primeiros estágios da produção até quando a mercadoria está na mão do consumidor — é bem diferente da cadeia de atribuição do valor, que, aliás, corre na direção oposta.

Outra implicação importante da teoria do valor marginalista é que não faz sentido procurar pelo valor estabelecido de modo abstrato como “o valor da comida”, ou “o valor da educação”, ou o “valor do transporte”, pois esta forma de resmungar provoca contradições e confusões. Na fala comum da política de gritar por “mais educação”, “mais saúde”, e outros “mais” em geral, evita-se o confronto com o problema central da escassez e assim com a necessidade de avaliar as compensações marginais.

Preço é diferente de valor. Preços refletem a escassez relativa dos bens no contexto da economia local, nacional e global. No confronto da objetividade dos preços com a avaliação subjetiva se decide sobre o ato de compra e venda. Com o mesmo preço, no ato de troca o vendedor e o comprador ganham, porque respectiva dos valores individuais, a troca envolve bens diferentes no sentido de diferentes percepções da utilidade do mesmo bem.

É uma tragédia profunda que o discurso político ainda está marcado da teoria de valor errada do tipo da escola clássica e do marxismo. Sem notar as contradições lógicas e sem notar o conflito com a realidade se continua falar de valores no sentido abstrato, coletivo e absoluto. Assim, o discurso político como ainda hoje existe, não só no Brasil, aparece mais ser um círculo infantil que um discurso racional.

Até hoje em dia, a retórica e prática do setor público esta dominada da teoria do valor antiga. No discurso político se propõe projetos em termos de valores abstratos e absolutos e em categorias coletivas. Não chega como surpresa que também nos países não-comunistas, a oferta de “bens públicos” acontece no mesmo jeito como foi o caso com quase toda a produção na União Soviética do passado, onde se produzia calçados e vestidos sem cuidar nem do tamanho nem da cor porque o plano era incapaz de diferenciar e o que contava para as “empresas” não era a satisfação do consumidor, mas cumprir as quotas do plano central.

Sobre o Autor

avatar
Antony P. Mueller é doutor em economia pela Universidade de Erlangen-Nuremberg, na Alemanha, e atualmente atua como professor na Universidade Federal de Sergipe (UFS). Ele é o fundador do Continental Economics Institute e mantém os blogs Economia Nova, Cash and Currencies e Sociologia econômica.

Mais de 350 milhões de pessoas sofrem de depressão no mundo

Mais de 350 milhões de pessoas sofrem de depressão no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A organização alertou hoje (9), véspera do Dia Mundial da Saúde Mental, para a necessidade de combater o estigma em torno da doença e incentivar que os governos implementem tratamentos para combater o transtorno. Pelos dados da OMS, pelo menos 5% das pessoas que vivem em comunidade sofrem de depressão.
"Temos alguns tratamentos muito eficazes para combater a depressão. Infelizmente só metade das pessoas com depressão recebe os cuidados de que necessitam. De fato, em muitos países, o número é inferior a 10%", disse o diretor do Departamento de Saúde Mental e Abuso de Substâncias, Shekhar Saxena. "É por isso que a OMS está trabalhando com os países na luta contra a estigmatização como ato essencial para aumentar o acesso ao tratamento."
A OMS define depressão como um transtorno mental comum, caracterizado por tristeza, perda de interesse, ausência de prazer, oscilações entre sentimentos de culpa e baixa autoestima, além de distúrbios do sono ou do apetite. Também há a sensação de cansaço e falta de concentração.
A depressão pode ser de longa duração ou recorrente. Na sua forma mais grave, pode levar ao suicídio. Casos de depressão leve podem ser tratados sem medicamentos, mas, na forma moderada ou grave, as pessoas precisam de medicação e tratamentos profissionais. A depressão é um distúrbio que pode ser diagnosticado e tratado por não especialistas, segundo a OMS. Mas o atendimento especializado é considerado fundamental. Quanto mais cedo começa o tratamento, melhores são os resultados.
Vários fatores podem levar à depressão, como questões sociais, psicológicas e biológicas. Estudos mostram, por exemplo, que uma em cada cinco mulheres que dão à luz acaba sofrendo de depressão pós-parto. Especialistas recomendam que amigos e parentes da pessoas que sofrem de depressão participem do tratamento.
Em 1992, a Federação Mundial para Saúde Mental lançou o Dia Mundial de Saúde Mental na tentativa de aumentar a conscientização sobre as questões na área e estimular a discussão sobre os transtornos mentais e a necessidade de ampliar os investimentos na prevenção, na promoção e no tratamento. Mais informações podem ser obtidas no site da OMS.
(Fonte: Agência Brasil)

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Respeitando as diferenças

Circula pela net:

Um sujeito estava colocando flores no túmulo de um parente, quando vê um chinês colocando um prato de arroz na lápide ao lado.
Ele se vira para o chinês e pergunta:
- Desculpe, mas o senhor acha mesmo que o defunto virá comer o arroz?

E o chinês responde:
- Sim, quando o seu vier cheirar as flores.

Moral da história:

Respeitar as opções do outro, em qualquer aspecto, é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter! As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente. Portanto, nunca julgue. Apenas tente compreender.
(multicidadão)

A pesca amadora no Brasil

O Ibama é um órgão pertencente ao Ministério do Meio Ambiente que entre suas diversas funções regulamenta  a prática da pesca de linha e subaquática no Brasil.

Para praticar a pesca amadora de terra-firme, o interessado precisa pagar ao Ibama uma licença de pesca anual, categoria "A". Já para praticar a pesca embarcada ou a pesca subaquática amadora, o interessado precisa paga uma licença de pesca anual, categoria "B".

O Ibama também regula os locais e épocas em que os interessados podem pescar, assim como o tamanho mínimo dos peixes. Por exemplo, é proibido pescar na época do fenômeno conhecido como piracema (migração de peixes para a desova). É também proibido pescar a menos de 200 m de cachoeiras e corredeiras, bem como em áreas de confluência dos rios com seus afluentes nos seguintes estados: RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, MT, MS.

O órgão ainda determina o tamanho mínimo  do peixe bem como a quantidade que o pescador amador pode capturar – no máximo 30 kg de uma mesma espécie por pescaria (exceto em competições oficiais e autorizadas pela Confederação Brasileira de Pesca e Desporto Subaquático).


Já o tamanho mínimo é definido pela medida entre a ponta do focinho e o final da nadadeira caudal do peixe. Se por acaso o pescador de linha ou subaquático amador capturar por acidente um peixe com tamanho inferior ao permitido deve devolvê-lo à água. A lei ainda permite a captura de, no máximo 10% de espécies com tamanho inferior ao estabelecido sobre o total capturado.

Clique aqui e veja as medidas oficiais do Ibama para peixes de água doce e salgada


Já tirou sua licença para pesca amadora?

(Odeir de Souza | Especial para o Caravanadaaventura explica, passo a passo, como proceder para obter o documento, emitido pelo Ministério da Pesca e Aquicultura)

Todo pescador amador que pratica a pesca desembarcada, embarcada ou de mergulho, por lazer, esporte ou turismo, é obrigado portar a Licença para Pesca Amadora, emitida pelo Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) válida, por um ano, em todo território nacional, não havendo necessidade de pagamento da licença estadual.
A falta de licença de pesca e o não cumprimento às normas federais e estaduais podem acarretar, além da apreensão de todo o pescado e o equipamento de pesca, em uma pena de um a três anos de detenção e multa, conforme a Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9.605/98).

A Licença para Pesca Amadora é feita exclusivamente pela internet no site do MPA (www.mpa.gov.br). O Caravana publica esta reportagem com objetivo de explicar passo a passo como funciona o processo para a tirada do documento e fazer com que você, amante da pesca, possa ficar dentro da Lei e poder curtir o seu passatempo sem preocupação.

O preenchimento é muito simples e rápido:
1. Entre na página do MPA e clique em "Nova Licença da Pesca Amadora";
2. Em seguida clique em "clique aqui para preenchimento dos dados";
3.Preencha corretamente os dados solicitados que serão utilizados na confecção de sua carteira de pesca;
4. Após o preenchimento, o sistema irá gerar uma tela de confirmação. Confira seus dados e clique em "Confirmar". Você também terá de responder a um pequeno questionário sobre pesca amadora;
5. O sistema irá gerar o número de protocolo da solicitação. Anote ou imprima (clicando na opção "imprimir"). Em seguida escolha a opção para gerar a GRU Cobrança (boleto / Veja os valores abaixo) e depois poderá imprimir a Licença Provisória;
6. Após efetuar o pagamento do boleto, junte com a Licença Provisória, que terá validade de 30 dias (não se esqueça de ter sempre em mãos um documento de identificação com foto). A licença definitiva só estará disponível no site após dez dias da data de pagamento do boleto bancário.

Isenções
Estão dispensados do pagamento da Licença para Pesca Amadora: aposentados (que possuírem comprovante de aposentadoria), homens maiores de 65 anos e mulheres maiores de 60 anos. Já os Pescadores que utilizem apenas linha de mão, estão dispensados, inclusive, da obrigatoriedade da Licença.

Valores
O pagamento pode ser efetuado em qualquer agência bancária ou casa lotérica, sendo R$ 20,00 para o pescador desembarcado (Categoria A) e R$ 60,00 para o pescador embarcado ou pesca subaquática (Categoria B e C, respectivamente).
Não é preciso tirar duas ou mais licenças para mudar de categoria de pesca. Com a licença para a pesca subaquática pode praticar a pesca desembarcada ou embarcada. Já licenciado para pesca embarcada pode pescar desembarcado, porém a licença para pesca subaquática é recomendado somente para quem pratica esta modalidade (de mergulho). A licença para pesca desembarcada é exclusivamente para essa categoria.
Após o recebimento da licença definitiva não é necessário estar de posse do boleto bancário, pois a data de pagamento estará incluída na própria licença bastando apenas apresentá-la juntamente com um documento de identificação quando solicitada pela fiscalização.

Equipamentos autorizados
O pescador amador pode pescar com linha de mão, puçá, caniço, vara com molinete/carretilha, anzol simples com isca natural, anzol múltiplo (garatéia) com isca artificial nas modalidades de arremesso e corrico, espingarda de mergulho ou arbalete. No caso do pescador amador que pesca no mar, a tarrafa, para captura de iscas, pode ser utilizada desde que com uma autorização especial.

Licenças de outros estados
Alguns estados da federação, como Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Tocantins, possuem autorização ambiental para a pesca desportiva específica que habilita o pescador a pescar nos rios e lagos de seus estados. O pescador com a licença de pesca do determinado estado pode pescar e transportar o pescado, após ser vistoriado e lacrado num Posto da Polícia Ambiental. As categorias de pesca, valores e períodos de validade são diferentes entre as localidades.
Só não esqueça que a Licença para Pesca Amadora é válida em todo território nacional, portanto não há necessidade de pagamento da licença estadual. Em resumo, a licença estadual é interessante para quem pesca somente num estado ou para a pessoa que não tem a licença e vai pescar durante pouco tempo em uma das regiões que oferecem esta permissão estadual.
(fonte: caravanadaaventura.com.br)

O AMIENTO

O amianto ou asbesto é uma fibra mineral que está presente em telhas, caixas d´água, componentes de freios para veículos, revestimentos de máquinas e alguns tipos de material plástico. A inalação do amianto é considerada extremamente nocivo à saúde, causando diversos tipos de doenças pulmonares.

O amianto, que quer dizer incorruptível em latim, é usado há mais de 2.000 anos. Entre as qualidades que atraíram a indústria, estão a alta resistência mecânica, isolação térmica e sonora, flexibilidade, baixo nível de combustão e durabilidade. Assim, o asbesto, que em grego quer dizer sem combustão, foi usado para isolar máquinas ou reforçar partes dos equipamentos. Durante a 2ª Guerra Mundial, o material era usado nas paredes dos bunkers e esconderijos anti-bombas. No Brasil, o uso mais comum é como caixa d´água ou telha. Com baixo custo, a telha de amianto faz parte da paisagem urbana do País, sendo extremamente comum em favelas e bairros pobres.

As primeiras constatações de que o amianto é prejudicial à saúde aconteceram em 1907 na Inglaterra. O principal grupo de risco são os trabalhadores que extraem a matéria-prima ou fabricam produtos com ele. Os operários da construção-civil que manuseiam o material também correm o risco de inalar as fibras. Já para quem tem caixa d´água ou telha de amianto, não há estudos comprovados da ocorrência de intoxicação. O Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo está pesquisando a saúde de pessoas que moram em casas com teto de amianto e sem forro para verificar se há alguma comprovação de contaminação, já que nunca foi feito um estudo neste sentido.
As principais doenças causadas pelo contato direto com a fibra de amianto são:
  • Câncer de pulmão
  • Mesotelioma de pleura - tumor maligno no tecido que reveste o pulmão
  • Mesotelioma de peritônio - tumor maligno no tecido que reveste o estômago
  • Abestose - surgimento de cortes e cicatrizes no pulmão

Estas doenças podem demorar de 10 a 40 anos para se manifestar, mas muitas vezes podem ser fatais. Por isso, em vários países, o amianto é proibido.

A Itália deu o primeiro passo em 1993, depois que mais de 1.200 pessoas que trabalharam em uma fábrica em Piemonte e tornaram-se vítimas. A fábrica produziu por mais de 50 anos. Atualmente, todos os países da União Européia proíbem a produção e consumo do asbesto. Vários outros países seguiram o exemplo como Canadá, Japão, Austrália, Nova Zelândia, Argentina e Chile. No Brasil, a resolução 348/2004 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) proibiu todo tipo de produção do amianto, mas uma decisão do Supremo Tribunal Federal, de agosto de 2007, acabou derrubando a proibição para as indústrias de São Paulo e Mato Grosso. O argumento dos advogados da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), que foi acatada pelos juízes, é que uma lei estadual libera a produção do amianto branco e o dispositivo legal se sobrepõe a qualquer outra resolução. Além disso, a indústria diz que, com equipamentos corretos, o perigo de contaminação é mínimo.
Não só no Brasil, os exploradores da fibra conseguem suas brechas. No Canadá, onde a comercialização é proibida, toda a produção é exportada para Ásia e África.

Enquanto se discute a proibição ou não do amianto, alguns pesquisadores procuram alternativas para a matéria-prima. Um engenheiro da Universidade de São Paulo, por exemplo, desenvolveu uma técnica de fibrocimento a base de escória, que é um subproduto da siderurgia que normalmente vai parar nos aterros sanitários.

O sal é seu pior inimigo!

Quem aqui não gosta de uma comida bem salgadinha? Uma batata frita regada no sal, uma saladinha bem temperadinha, enfim... o sal está na vida de todo mundo, no dia a dia das refeições e nos lanches também. Mas o que nos leva ao susto extremo quando procuramos uma nutricionista é saber como esse singelo e branquinho ingrediente pode acabar com a sua vida!

Não, não é exagero. Não sei se vocês sabem, mas já tem um tempinho que os médicos dizem que devemos reduzir a ingestão de sal para prevenir nossos corpos de doenças do coração, principalmente doenças que afetam a pressão (hipertensão, por exemplo). Na maioria dos casos de hipertensão, somente a redução do sal na comida não é suficiente, mas é sempre um ótimo aliado na luta a favor da saúde.

O sal de mesa é também conhecido como cloreto de sódio e o problema está no sódio e não no cloreto. Sabe-se que o sal de mesa tem 40% de sódio, mas ele está presente também em vários produtos industrializados que consumimos diariamente, como pães, queijos, cereais, bolachas, enlatados e etc.


A elevada ingestão de cloreto de sódio (sal de cozinha) faz o organismo reter mais líquidos e aumentar de volume, podendo levar ao aumento da pressão sanguínea e causar a hipertensão, responsável por infarto e acidente vascular cerebral. O consumo excessivo de sal pode também afetar os rins.

Por isso a maioria dos médicos e nutricionistas indicam que seus pacientes consumam o sal light e mesmo assim, de forma bastante reduzida. Podemos abusar de outros ingredientes mais saudáveis na hora de temperar nossos alimentos, como salsinha, cebolinha, orégano, tomilho, curry, louro e muitos outros.

Já que estamos falando em sal light, você sabe a diferença entre o sal normal e o sal light? Antes de mais nada, a composição dos dois produtos é completamente diferente - enquanto o sal comum de cozinha tem em sua composição 99% de cloreto de sódio, o sal light tem em sua formação 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio. Salga menos, mas é mais saudável.

Resumindo a ópera, o sal light possui um menor tempo de retenção no organismo (menos quantidade de sódio), o que é ótimo para os hipertensos e para as pessoas que têm grande facilidade de reter líquidos.


Mas fiquem ligados: se a pessoa possui alguma doença renal, o sal light também não é recomendado por ter o potássio em sua composição!!! #FikDik

Mais uma super vantagem do sal light é o sabor mais suave que o produto tem, ele não deixa de salgar os alimentos, mas é mais sutil no sabor e no aroma. E não se esqueça: se você vai começar a substituir o sal normal pelo sal light, deve utilizar a mesma quantidade indicada nas receitas para o sal comum, não adianta tentar burlar as regras né? Mesmo sendo light, ele não deve ser utilizado em excesso... Não se esqueçam disso!
(

Conheça um pouquinho mais sobre Sushi

Olá pessoas!

Passeando pelo blog  CURIOSIDADES DO JAPÃO encontrei um prático guia que explica certinho o que é o que na culinária japonesa.
Confiram:


Do mar são retirados os principais alimentos que compõem a cozinha japonesa. Em quase todos os pratos estão presentes peixes, algas e frutos do mar. Por ter uma geografia montanhosa, são escassos os espaços para o desenvolvimento da agricultura. Já a cultura do arroz pode ser produzida em áreas pequenas, sendo um dos produtos mais consumidos no país.


No Japão, antigamente, todos os peixes eram devidamente conservados no arroz cozido quando eram transportados para outras localidades. Os japoneses tinham o conhecimento de que o arroz liberava substâncias (ácido acético e láctico) que preservariam a qualidade por mais tempo. Assim, retirava-se a cabeça e as vísceras do peixe e o filé era conservado entre as camadas do arroz, ocorrendo um processo de fermentação natural, e adquirindo um sabor ácido. Esta técnica era comumente usada por pescadores, quando ficavam em alto mar, criando então o sushi prensado.
A técnica de conservação do peixe ao longo do tempo foi transformada num prato, e o sabor ácido, natural da fermentação, foi substituído por ácido acético, e posteriormente pelo vinagre. Por fim, foi acrescentado ao peixe e arroz com vinagre o shoyu.
Em meados do século XIV, os japoneses passam a consumir não somente o peixe como também o arroz, antes de sua fermentação. Surge deste modo o namanarizushi, que originou os diversos tipos de sushi conhecidos hoje em dia.


Tipos de Sushi:

Uramaki:


Arroz sobre folha de nori (significa alga), tiras de peixe ou outros ingredientes, enrolados de maneira que o arroz permaneça na parte externa. A palavra “Ura” quer dizer “fora”, e “Maki” quer dizer “enrolar”. Normalmente o uramaki vem com gergelim, servindo além de dar um sabor especial, como um belo enfeite. Depois de feito é cortado em seis unidades. O mais conhecido é o uramaki califórnia.

Califórnia:


Esta é a versão americanizada de uramaki, citado anteriormente. É uma ótima opção para quem não aprecia peixe cru. Vem com kani, pepino e manga (ou abacate). Algumas vezes o sushiman inclui maionese, outras vezes cream cheese.

Hossomaki:


É o arroz e o recheio envoltos em alga marinha. Hosso quer dizer “fino” e maki como já foi dito “enrolado”. Conforme o recheio que se usa, o hossomaki leva um nome diferente: Tekamaki (de atum), kapamaki (de pepino), shakemaki(de salmão).

Nigiri:


Bolinho de arroz em forma alongada, coberto com fatias de peixe cru, ou ainda polvo e camarões. São preparados à mão, e sem ajuda de esteirinhas ou formas, sendo apresentados em pares.

Temaki:


É o cone de alga recheado com arroz, peixe e pepino. Seu nome significa “enrolado na mão”. A alga marinha do temaki precisa estar seca e crocante. Se você demorar para comer, a alga amolece devido a umidade e fica borrachenta.

A etiqueta para comer o sushi:

E aí quem ficou com vontade?
 
( Joana Ferraz - blogspot.com)